Carregando

Aguarde, processando!

Avaliamos vodcas com sabor

Avaliamos vodcas com sabor

29/03/2017

Marcelo Copello

vodca

4039 Visitas

Por Marcelo Copello

Um importante segmento no mundo das vodcas são as aromatizadas, muito usadas em coquetéis. Este tipo de bebida vêm atraindo novos adeptos, principalmente entre o público jovem, que se identifica com produtos aromatizados, da mesma forma que refrigerantes e chicletes.

As vodcas aromatizadas não são novidade e nem uma invenção norte-americana, como muitos pensam. No ano de 1546, o rei polonês Yan Olbretch publicou uma lei segundo a qual autorizava a população a produzir vodcas livremente, o que na prática significou o aparecimento de vodcas aromatizadas com frutas e ervas, já no século XVI. Normalmente sua elaboração difere das vodcas puras simplesmente pela adição de ingredientes que irão conferir seus sabores específicos. A variedade de vodcas com sabores é ampla, passando pelos mais comuns sabores de frutas como limão, laranja e frutas vermelhas, até baunilha, rosa e pimenta.

Provei as cegas cinco vodcas aromatizadas, todas servidas puras e a temperatura inicial de -5oC.

Smirnoff Orange Twist

Origem: Brasil.

Matéria prima: milho (principalmente).

Com 35% de álcool e aroma intenso de laranja e um toque de doçura (açúcar adicionado). Pura, foi a melhor da linha Twist.

Smirnoff Citrus Twist

Origem: Brasil.

Matéria prima: milho (principalmente).

Com 35% de álcool e aroma de limão verde, com uma sensação de doçura menor que os outros rótulos da linha.

Smirnoff Red Fruit Twist

Origem: Brasil.

Matéria prima: milho (principalmente).

Com 35% aroma muito doce e um pouco artificial, lembrando chicletes tutti frutti. No paladar a doçura é bastante perceptível, prestando-se quase exclusivamente para confecção de coquetéis.

Absolut Citron

Origem: Suécia.

Matéria prima: 100% trigo.

Com 40% de álcool. Das aromatizadas foi a que mais agradou pura, pois seu aroma de limão amarelo é bem sutil e natural. No paladar é seca e elegante.

Absolut Mandrin

Origem: Suécia.

Matéria prima: 100% trigo

Com 40% de álcool. Aroma muito intenso de tangerinas e laranjas, mais presente do o que a versão Citron, mas também com perfil mais artificial e não tão elegante, prestando-se melhor à misturas.

Leia também: Como degustar uma Vodca

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com