Carregando

Aguarde, processando!

Vertical de Vega Sicilia UNICO

Vertical de Vega Sicilia UNICO

10/02/2017

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

3575 Visitas

Presença garantida em qualquer lista de maiores vinhos do mundo, o espanhol Vega Sicilia “Unico” é um daqueles nomes que arranca suspiros de qualquer felizardo que já o tenha provado.

Fundada em 1864 por Eloy Lecanda y Chaves, a Bodegas Vega Sicilia viria a lançar seu vinho ícone, o Vega Sicilia “Unico”, apenas em 1915. A notoriedade foi rapidamente alcançada e, nos anos 20, o “Unico” já era reputado como o maior nome da Península Ibérica, posto que até hoje ocupa com quase unanimidade. Novos e excelentes vinhos surgem na Espanha a cada dia, mas qual deles tem a longevidade, a consistência e o charme do Vega?

Este vinho segue a mesma fórmula de todos os grandes do mundo: solo e clima privilegiados, produção pequena, boas cepas e uma hipérbole de cuidados que podem chegar a um perfeccionismo quase insano.

VINHEDOS

A empresa utiliza apenas vinhas de mais de 20 anos. Enquanto as plantas novas não atingem esta idade, seus frutos são usados na produção de destilados e não, como normalmente se faz, vendidos para outro produtor, que poderia tirar vantagem publicitária por usar uvas da prestigiosa bodega. Seus 250 hectares na região de Ribera del Duero estão plantados com 65% de Tinto Fino ou Tinta del Pais (nomes locais da Tempranillo), 15% Cabernet Sauvignon e os 20% restantes divididos entre Merlot, Malbec e uma quantidade mínima de experimentos com castas brancas, como a Albillo e a Chardonnay. O rendimento destas vinhas é muito baixo, apenas 22 hectolitros por hectare e em alguns anos este rendimento pode cair até míseros 7 hectolitros por hectare.

ELABORAÇÃO

O “Unico” é educado por 10 a 15 anos antes de chegar ao mercado. Ao longo deste período, passa por uma via-crúcis de afinamentos, em madeira americana e francesa. Inicialmente cerca de 2 anos em tonéis de madeira usada, depois 2 anos em barricas novas, 2 anos em barricas usadas e finalmente 2 anos em grandes recipientes de madeira usada. Finalmente repousa ainda mais de três anos em garrafa.  O resultado é um vinho de longa guarda. Enquanto a maioria dos vinhos de hoje é feito para correr 100 metros rasos, o Unico foi treinado para uma maratona e pode ser guardado por muitas décadas. É por isso que recomento fortemente não abrir garrafas com menos de 20 anos de idade. Quem provar um Vega jovem, com 10 anos por exemplo, não terá ideia de seu verdadeiro potencial.

O longo estágio em madeira lhe dá um característico toque oxidado que lembra verniz. Tem potencial para evoluir por décadas, devidamente ninado e vigiado na adega. 

Vega Sicilia tem sua própria tanoaria, utilizando madeiras de Oregon, Tronçais e Allier secas ao tempo durante três anos.

CURIOSIDADES

- Até 1982 era classificado com um simples “vinho de mesa”, por utilizar Cabernet Sauvignon. Hoje leva a DO Ribera del Duero.

- Um cuidado dos produtores digno de nota é o fato de não entregarem pedidos entre os dias 15 de junho e 15 de setembro, período em que o calor na Espanha poderia afetar a qualidade das garrafas durante o transporte.

- A origem do nome “Vega Sicilia”, por exemplo, é uma incógnita. “Vega” seria um terreno perto de um rio, no caso o rio Duero (ou Douro), mas não se sabe porque “Sicília”, o que não impediu Winston Churchill de afirmar “Adoro este vinho italiano”, referindo-se ao grande caldo espanhol.

- As garrafas do “Unico” são disputadas e há cerca de 3 mil clientes em lista de espera para adquiri-las. Todos os anos a garrafa magnum (1,5 litro) de número “001” é enviada para o Rei da Espanha, Juan Carlos, devidamente autografada por Pablo Alvarez, proprietário da Bodega.

- O Papa João Paulo II, ao visitar a Espanha, quis provar o “Unico” e foi presenteado com uma garrafa do ano de seu nascimento, 1920!

- O jogador de futebol Ronaldo, o “fenômeno”, serviu o “Unico” em seu badalado e naufragado casamento com a modelo Daniella Cicarelli.

- Segundo Yolanda Perez, diretora de exportações da empresa, muitos japoneses entram em contato perguntando qual foi a safra do “Unico” servido no casamento do príncipe Charles e Lady Diana, o que simplesmente não aconteceu.

PRODUÇÃO

A produção total da bodega é de cerca de 300 mil garrafas por ano, sendo 50 a 100 mil de “Unico”. Entre 60 e 65% da produção fica na Espanha, o restante é exportado para mais de 50 países. Os maiores mercados são a Suíça e os EUA, seguidos por Reino Unido, Alemanha, Escandinávia e México. Ao Brasil chegam apenas cerca de 100 caixas por ano.

OS VINHOS DA BODEGA

Valbuena Reserva – mais conhecido como “5º Ano”. Elaborado com vinhas mais novas e com “sobras” do UNICO. Produção de cerca de 200-250 mil garrafas todo ano

"Unico" Gran Reserva – somente em grandes anos, de vinhas de mais de 20 anos. 50-100 mil garrafas nem todos os anos

"Unico" Reserva Especial – Seleção das melhores barricas dos melhores UNICOS. 10-20 mil garrafas nem todos os anos  O “Reserva Especial” não tem safra, é uma mistura de UNICOS e é referenciado pelo ano do lançamento. Por exemplo, estes são alguns dos “releases”:

Release 2000: mistura das safras 1985, 1990, 1994

Release 2004: mistura das safras 1985, 1990, 1991

Release 2005: mistura das safras 1985, 1991, 1996

Release 2007: mistura das safras 1990, 1991, 1994

VINHOS PROVADOS

Vega Sicilia UNICO 1998

80-85% Tinto Fino, 10-15% Cabernet Sauvignon, 3-5% de Merlot

20-22 meses - grandes tonéis usados

22 meses - barricas novas

28 meses - barricas de 2º uso

30 meses - grandes tonéis usados

3 anos em garrafa

13,5% de álcool

Foi o que mais evoluiu na taça ao longo da prova, com grande potencial de guarda, por sua estrutura tânica monumental. Paladar seco, sério, muito concentrado e profundo, com nariz complexo, com muitas especiarias, frutas secas, frutas negras, toque fumé, mineral, balsâmico, tostados, madeira. Pareceu fechado no início da prova (estava decantado a 1,5 hora), mas duas horas depois, ainda na taça, estava espetacular. Um vinho para uns 40 anos de guarda.

Nota 97 pontos

Vega Sicilia UNICO 1996

85% Tinto Fino, 13% Cabernet Sauvignon, 2% Merlot

22 meses - grandes tonéis usados

22 meses - barricas novas

28 meses - barricas de 2º uso

30 meses - grandes tonéis usados

3 anos em garrafa

            14% de álcool

Mais aberto e expressivo que o 1998 no início da prova, mas que ao fim da noite foi um pouco esquecido por todos. Com muita elegância, grande finesse, mas sem a potência do 1998. Paladar de bom corpo, taninos finíssimos ainda presentes, aromas de tostados, toque característico de verniz, frutas vermelhas, geleias, tabaco, musgo, alcaçuz. Ficou um pouco ofuscado pelos demais vinhos da noite, talvez por ser o de menor corpo e de menor potencial de guarda (para talvez “apenas” 20 anos de guarda).

Nota 95 pontos

Vega Sicilia UNICO 1995

85% Tinto Fino, 15% Cabernet Sauvignon

22 meses - tonéis de madeira usada

22 meses - barricas novas,

28 meses - barricas semi-novas

24 meses – grandes tonéis usados

3 anos em garrafa

14% de álcool

O 1995 encantou desde o primeiro momento. Intenso e extraordinariamente complexo no nariz. Esta maravilha mostrou uma grande variedade de aromas, como de terra molhada, madeiras, carvalho, cedro, geléia de frutas negras, alcaçuz, minerais, tabaco. Profundo no paladar, com camadas de sabores. Ao colocá-lo na boca pareceu-me que ele afunda no palato, como se déssemos um mergulho ao fundo do mar (de vinho). Para longa guarda, estimada em 30 anos. Fantástico. Nota 98 pontos.

Vega Sicilia RESERVA ESPECIAL

Lançado em 2008 (safras 1990, 1991, 1996)

Era o mais etéreo de todos, com muito aroma de verniz, e muita evolução, e alguns aromas que eu poderia classificar como “off flavors” (defeituosos). Agradou pouco e ficou à sombra dos demais vinhos. Certamente uma má garrafa.

5-Vega Sicilia UNICO 1989, MAGNUM

80% Tinto Fino, 20% Cabernet Sauvignon

2 anos - grandes tonéis de madeira usada

16 meses - barricas novas,

3 anos - barricas semi-novas

3 anos - barricas usadas

3 anos - grandes tonéis de madeira usada

3 anos em garrafa

13,5% de álcool

O mais velho era ao mesmo tempo o mais jovial dos vinhos provados. A garrafa MAGNUM faz a diferença. Opaco na cor, sem sinais de sua idade, mostrando aromas de fruta madura, geleias, anis, balsâmicos, minerais, cedro, nozes. No paladar é um monstro, de grande estrutura, o mais gordo no meio de boca, com taninos finíssimos em profusão, redondo, muito longo, profundo. GRANDE vinho, para 40 anos de guarda, e se for em Magnum como este pode passar dos 60 anos de guarda. Espetacular.

Nota 100 pontos.

Leia também: O melhor da Sicília

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com