Carregando

Aguarde, processando!

Vertical de Haut-Brion – o maior branco de Bordeaux

Vertical de Haut-Brion – o maior branco de Bordeaux

02/09/2017

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

1210 Visitas

Por Marcelo Copello

Poucas são as regiões no mundo onde um vinho se destaca em prestígio tão à frente dos demais. Quando falamos em brancos de Bordeaux, ele reina soberano, o Haut-Brion. Outro possível caso é quando falamos dos vinhos doces da própria Bordeaux, categoria na qual o Château d´Yquem nada à frente com braçadas de vantagem.

A fama do Haut-Brion branco vem não só de sua qualidade e longevidade, comprovadas através de muitos anos (sua primeira safra foi em 1916), mas também de sua raridade. Imaginem que o Haut-Brion tinto, um vinho espetacular, raro e caro, tem produção pequena, de cerca de 140 mil garrafas ao ano, enquanto o Haut-Brion branco tem produção ínfima, que gira em torno de apenas 6 mil garrafas/ano - o que o torna ainda mais raro. 

Dos 52 hectares do Château apenas 2,87 são de uvas brancas, plantadas com cerca de 52,6% de Sémillon e 47,4% de Sauvignon (em sua maioria Sauvignon Blanc e uma pequena quantidade de Saugivnon Gris plantadas recentemente). Os rendimentos destes vinhedos são baixíssimos, entre 25–40hl/ha. A fermentação alcoólica acontece com leveduras autoctones sempre em barricas de carvalho, onde o vinho permanece 9-12 meses, com battonage e sem fermentação malolática (o que preserva a acidez incrível que proporciona ao vinho grande estrutura e longevidade). A madeira costumava ser 100% nova nos anos 1980, mas a proporção diminuiu e hoje é cerca de 50% nova e 50% usada.

Nesta vertical provei seis safras, três dos ano 1980 e três dos anos 1990. A exceção do mais novo, 1998 (que parecia ser o mais velho, com evolução precoce), os demais estavam em um patamar de evolução semelhante. No quesito qualidade um deles sobressaiu claramente, o 1989, um grande-grande-grande vinho!. Como sempre fica aqui regitrada minha a gratidão a quem me prorcionou esta prova e os que comigo compartilharam estes momentos especiais.

Château Haut-Brion blanc 1998

Cor dourada. Aroma intenso, com notas de evolução, mel, frutas muito maduras, coco, madeira, cravo. Aroma fruta exotica tropical, coco, acacia madeira, cravo, mineral, maracujá, florais, fundo minetal. Paladar de textura rica e acidez moderada e um pouco curto. Possivelmente uma má garrafa. Com uma nota de oxidação e evolução precoce na cor, nariz e boca, na descendente, mas cai com nobreza.

Nota: 89 pontos

Château Haut-Brion blanc 1996

Cor dourada. Aroma intenso e complexo, cítrico, limão, laranja, maçã verde, floral de jasmin, amêndoas, figos, amanteigados, mel. Paladar robusto, de firme estrutura, dada por acidez crocante, crom textura macia, muito equilibrado e longo. O mais expressivo e perfumado da prova.

Nota: 95 pontos

Château Haut-Brion blanc 1995

Cor dourada. Aroma não tão intenso, mas cheio de elegancia, com madeira nova de ótima qualidade aparecendo, floral, cítrico, com notas de limão amarelo, maçã verde, abacaxi, aspargos, funfo mineral. Paladar firme porém menos robusto que o 1996, agudo em sua acidez, extremamente longo, menos expressivo que o 1996, conquista pelo extremo finesse, deve ainda crescer e se abrir.

Nota: 95 pontos

Château Haut-Brion blanc 1989

Este 1989 talvez seja o maior branco seco que Bordeaux já produziu. De um ano extremamente quente, com colheita precoce em agosto, havia dúvida na época de seu lançamento se sua acidez seria suficiente para que vinho tivesse vida longa. Hoje este vinho caminha firme para seu trigézimo aniversário, sem sinais de decadência. Sua cor é dourada e nariz e boca são uma explosão. Cheio de vigor e juventude, com as primeiras notas de evolução. Aroma complexo, muito mineral, com notas de mel,  pêssego em calda, maçã verde,

manteiga, cêra, caramelo, tostados, geléia de limão, baunilha, flores, nozes. Paladar imponente, cremoso, quase matigável, acidez firme e integrada, com sensação de doçura, profundo e muito puro. Provei este vinhos há uns 5 anos atrás e na ocasião foi um nota 100, hoje fico nos 98. Cada garrafa é uma historia.

Nota: 98 pontos

Château Haut-Brion blanc 1985

Cor dourada clara. Aroma intenso e elegante, cítrico e floral, com notas de mel, limão, maçã verde, cêra, flores, caramelo. Paladar de médio corpo, macio, com acidez ainda muito boa, longo e delicioso. Está pronto, aparentemente em seu auge, e por sua acidez viva, nos dá sinais de que manterá este auge alguns anos.

Nota: 94 pontos

Château Haut-Brion blanc 1983

Cor dourada. Embora já com evolução e menos exuberãncia que o 1985, sua acidez está muito viva e lhe dá equilibrio e frescor. Com aromas de mel, frutas e flores secas, avelãs, geléia de laranja, maçã verde, tostados, fundo mineral. Paladar macio, com acidez ainda muito boa, longo e delicioso.

Nota: 93 pontos

Marcelo Copello (mcopello@bacomultimidia.com.br)

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com