Carregando

Aguarde, processando!

Um insulto à tradição. Será?

Um insulto à tradição. Será?

01/06/2017

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

1377 Visitas

Divulgado pelo Daily Mail, o Blumond, uma bebida de 7% de teor alcoólico feita a partir de Prosecco + curaçao azul + pêssego, já está à venda na China e América do norte, onde está se tornando conhecido nas festas de casamento. A empresa já acumulou £ 675.000 de vendas nos EUA no ano passado e proprietário da marca Fratelli Saraceni está ansioso para replicar esse sucesso em seu país natal, na Itália.

Blumond será lançado e junho na Sicília. Críticos já viram a cara para a bebida, mas o 

Blumond Blue Diamond, logo estará também em Roma e Milão.

É possível que a bebida seja re-rotulada como um coquetal aromatizado ou apenas "apéritif" e não vinho, devido ao seu baixo abv.

Wladimiro Gobbo, membro da Associação de Sommeliers da Itália, apelidou de Blumond "um insulto à nossa tradição vinícola". "É embaraçoso. Isso não é vinho, apenas líquidos coloridos ", disse ele ao Daily Mail.

Fabio Lantieri de Paratico, co-fundador do Consorzio Franciacorta e produtor de espumantes pelo método tradicional, acrescentou: "Eles não pertencem ao nosso mundo. São apenas caprichos e tendências que vêm e vão ". "Os bebedores anglo-saxões estão mais abertos à inovação e às reviravoltas do que os italianos - eles gostam de experimentar", admitiu Matteo Saraceni de Fratelli Saraceni.

A empresa já lançou uma bebida de laranja neon chamado Volare, que combina Pinot Grigio e grapefruit rosa, e Mario, um limoncello espumante feito com Prosecco e limões sicilianos.

Fratelli Saraceni também espera vender Blumond no Reino Unido e está atualmente em negociações com varejistas. Este não é o primeiro vinho azul a ser colocado à venda. Em 2015, seis empresários causaram uma tempestade em um copo de vinho com o lançamento do primeiro vinho azul do mundo, chamado Gik, feito na região vinícola espanhola de Bierzo.

Um vinho de base é criado a partir de uvas tintas e brancas, em seguida, pigmento azul é adicionado e o vinho é suavizado com adoçantes. A bebida não convencional é destinada a consumidores mais jovens que procuram algo diferente de sua experiência de vinho. As autoridades espanholas recorreram à legislação europeia para proibir os empresários de descrever o Gik como um "vinho", com base no fato de não existir uma categoria de "vinho azul" na legislação da UE.

E você o que acha?


 

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com