Carregando

Aguarde, processando!

Os maiores brancos de portugal

Os maiores brancos de portugal

03/02/2017

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

3560 Visitas

O prestígio do vinho português no mundo, até bem poucas décadas, se restringia ao Vinho do Porto. Embora a semente dos grandes tintos tenha sido plantada em 1952 (ano em que foi produzido o primeiro Barca Velha), foi só a partir da entrada de Portugal na União Europeia, em 1986, que começaram a pulular por todo o país os excelentes tintos que hoje nos encantam. Brancos lusos de classe mundial já são um fenômeno mais recente. A maioria dos vinhos desta prova (com exceções) chegou ao mercado há uma ou duas décadas e, hoje, juntos, formam um conjunto que nos permite usar em tom maior e plural o título desta matéria. A seguir provamos alguns dos maiores brancos de Portugal, muitos deles para a guarda, vindos de várias regiões e incontáveis castas. O nível de qualidade desta prova foi altíssimo.

Reserva Pessoal Branco 2005, Domingos Alves de Souza, Douro. Decanter, www.decanter.com.br

Elaborado a partir de vinhas velhas de várias castas com mais de 80 anos, com predominância de Gouveio, Malvasia Fina e Viosinho, feito à moda antiga, com maceração pelicular (curtimenta) e hiperoxidação. Fermenta em barricas novas de carvalho francês, onde permanece um ano. Palha- claro, com aroma exótico, perfumado, que impressiona pela complexidade e finesse, com notas florais, de ervas e minerais, madeira fina e discreta. Paladar delgado e elegante, com ótima acidez, longo. Ainda jovem, para guarda. Encantou.

94 Pontos

Buçaco Reserva 2005, Dão-Bairrada Mistral, www.mistral.com.br

Um vinho raro e de antiga fama. Elaborado com várias castas, entre as quais predomina a Bical, com 12 meses em carvalho francês. Amarelo dourado. Nariz muito complexo, mineral pedregoso, com notas de muitas ervas, de erva-doce a menta, madeiras, cedro, resina, defumados, damasco, maçã verde, pimenta branca. Paladar muito firme, com acidez alta e integrada, textura macia, 13% de álcool, muito longo. Impressiona e encanta. Um grande clássico, para longa guarda.

94 pontos

Nossa Calcário 2012, Filipa Pato, Bairrada. Porto a Porto, www.portoaporto.com.br

100% Bical, de vinhas de quase 30 anos plantadas em solo calcário. Fermentado em barricas de 500 litros, onde fica cinco meses. Amarelo-palha claro. Aroma francamente mineral, com notas de frutas cítricas e ervas. A madeira aparece pouco, mas dá complexidade e estrutura. Paladar estruturado por ótima acidez, 13% de álcool, conjunto coeso que deve evoluir muito bem. Ainda jovem, para guarda de cinco/dez anos.

93 Pontos

Redoma Reserva 2011, Niepoort, Douro Mistral, www.mistral.com.brhttp://www.mistral.com.br

 Elaborado a partir de vinhas velhas de 60-100 anos, ou mais, em que predominam Rabigato, Codega, Donzelinho, Viosinho e Arinto. Fermenta e amadurece durante dez meses em barricas francesas. Amarelo-dourado. Aroma fresco, complexo e francamente mineral, com madeira maestralmente integrada, notas de tostados, baunilha, frutas maduras, cítricos e ervas do Douro. Paladar encorpado e fresco, com acidez firme, 13% de álcool, boa profundidade, longo, com estrutura. Um branco de alta classe, ainda jovem, para longa guarda.

94 Pontos

Quinta do Ameal Escolha 2011, Minho Wine Mundi, www.winemundi.com

100% Loureiro, fermentado e amadurecido seis meses em carvalho. Palha-claro esverdeado. Aroma intenso e límpido, com notas de amêndoas, cítricos, lima, limão, ervas, grapefruit, flores, baunilha e tostados. Paladar seco, sério, apenas 11,5% de álcool, estruturado por grande acidez, grande pureza. Ainda jovem, guardar.

92 Pontos

Curtimenta 2011, Anselmo Mendes, Minho Decanter, www.decanter.com.br

Feito apenas nas melhores safras. Elaborado “à moda antiga” com curtimenta (maceração) de 48 horas com as cascas, com nove meses de estágio em barricas usadas de 400 litros. Pallha-dourado. Aroma limpo e complexo, com notas minerais, de maçã verde, pêssegos, baunilha, tostados, jasmim, ervas como aneto ou estragão. Paladar volumoso, com 13% de álcool e acidez integrada e vincada, muito longo. Elegância e potência. Grande vinho, ainda jovem, guardar.

93 Pontos

Quinta da Pedra Alvarinho 2010, Minho Ideal Drinks, www.idealdrinks.com

Elaborado com 100% Alvarinho, parcialmente estagiado em barricas. Amarelo-palha dourado claro e brilhante. Aroma com madeira integrada a notas cítricas, de abacaxi, laranja, fundo mineral elegante. Paladar estruturado por acidez crocante, textura cremosa, longo e perfeitamente equilibrado. Tem estrutura para guarda, deve evoluir muito bem.

92 Pontos

Muros de Melgaço 2012, Anselmo Mendes, Minho Decanter, www.decanter.com.br, R$185,00.

100% Alvarinho, fermentado e amadurecido seis meses em madeira usada. Amarelo-palha dourado. Aroma intenso e com finesse, complexo, com notas minerais intensas, frutas maduras, madeira discreta, flores, mel. Paladar ao mesmo tempo delicado e concentrado, com acidez integrada, macio, 13% de álcool, grande equilíbrio. Para a guarda.

91 Pontos

Foz de Arouce Branco 2009, Quinta de Foz de Arouce, Beiras. Decanter, www.decanter.com.br

Elaborado com vinhas velhas de Cerceal, fermentado em barricas. Dourado claro. Aroma intenso, expressivo, francamente mineral e marcado pela madeira, com notas salgadas, cítricas, de especiarias e ervas. Paladar de bom corpo, gordo, cremoso, com boa acidez. Está pronto, não deve evoluir mais.

91 Pontos

Pêra-Manca branco 2010, FEA, Alentejo Adega Alentejana, www.alentejana.com.br

Elaborado com Arinto e Antão Vaz, fermentado e amadurecido em carvalho. Palha-claro com reflexos dourados. Aroma intenso, elegante e rico, com notas de avelãs, maçã, pera, tostados, flores brancas. Paladar de médio corpo, macio, 13,5% de álcool, longo, acidez firme. Tudo muito bem integrado e proporcionado. Noto que este Pêra Manca branco tem mais equilíbrio e elegância e menos madeira e corpo que safras anteriores. Aplausos.

Nota: 91 pontos

Eminência Loureiro 2009, Minho Ideal Drinks, www.idealdrinks.com

Elaborado com 100% Loureiro, parcialmente amadurecido em barricas. Palha-claro, aroma delicado, elegante, com notas de mel, baunilha, maçã verde, flores. Paladar leve, com textura macia, sem perder o frescor, acidez equilibrada e integrada. Conjunto muito bem proporcionado.

Nota: 91 pontos

Guru 2012, Wine & Soul, Douro Adega Alentejana, www.alentejana.com.br

Elaborado com Códega do Larinho, Gouveio, Rabigato, Viosinho, com passagem de cinco meses por carvalho francês. Amarelo-palha, com reflexos dourados claros, brilhante. Aroma elegante e encantador, que nos remete à Borgonha, com notas minerais bem evidentes, madeira bem integrada, de frutos brancos, especiarias, baunilha, anis. Paladar de bom corpo, textura macia, 12,5% de álcool, muito fino, acidez correta, só não recebeu nota mais alta porque cai um pouco no final.

Nota: 91 pontos

VZ 2010, Van Zellers, Douro Vinho Sul, www.vinhosul.com.br

Elaborado com Codega, Viosinho, Gouveio e Rabigato, com passagem por madeira nova. Amarelo-dourado. Aroma rico, com madeira bem presente, notas de frutas maduras, cítricos, maçã verde, resinas, minerais lembrando pedra de isqueiro. Paladar de bom corpo, cremoso e com ótima acidez, 14% de álcool.

Nota: 90 pontos

Vinha Formal 2010, Luis Pato, Bairrada Mistral, www.mistral.com.br

100% Bical, com nove meses em carvalho francês usado. Palha-claro. Aroma limpo, elegante, um pouco fechado, com notas que já antecipam a cremosidade que será encontrada na boca, resinoso, mineral. Paladar largo e cremoso, com ótima acidez, longo. Delicioso agora, mas deve evoluir bastante. Tem personalidade e finesse.

Nota: 91 pontos

Marquesa de Alorna Reserva branco 2011, Quinta da Alorna, Alentejo Adega Alentejana, www.alentejana.com.br

Arinto e Fernão Pires, fermentado e com estágio de três meses em barricas francesas. Amarelo-palha claro. Aroma elegante, delicado, flores brancas e frutas amarelas, pêssego, madeira discreta, tostados, baunilha. Paladar de médio corpo, macio, 13,5% de álcool, com excelente equilíbrio maciez-acidez, tudo muito bem integrado, ainda jovem pode evoluir por mais uns três a cinco anos.

Nota: 90 pontos

Quinta do Regueiro Alvarinho Reserva 2012, Minho Wine Mundi, www.winemundi.com

100% Alvarinho. Amarelo-palha dourado. Aroma fresco e cítrico, com notas de frutas amarelas, flores e ervas. Paladar delgado e estruturado por acidez alta, firme, 13% de álcool, longo e com final cremoso. Um belo Alvarinho, ainda jovem e nervoso.

Nota: 89 pontos

Conceito 2009, Unipessoal, Douro Viníssimo, www.vinissimostore.com.br

40% Códega, 40% Rabigato e 20% de outras, com dez meses em barricas 50% novas. Palha-claro. Aroma de médio ataque, floral, frutas brancas, toque de madeira, tostados, defumados. Paladar cremoso, macio, com 13,5% de álcool, acidez equilibrada, conjunto elegante e harmonioso.

Nota: 88 pontos

Royal Palmeira Loureiro 2010, Minho Ideal Drinks, www.idealdrinks.com

Elaborado com100% Loureiro, sem passagem por madeira. Palha-claro. Aroma delicado e sofisticado. Floral, citrinos, jasmim, lima-da-pérsia, notas minerais. Paladar leve, macio, acidez equilibrada e bem integrada, com 12% de álcool. Nada fora do lugar. Conquista pela elegância e equilíbrio.

Nota: 90 pontos

Ázeo 2012, João Brito Cunha, Douro Wine Mundi, www.winemundi.com

Elaborado com Viosinho, Rabigato e Gouveio. Cor clara esverdeada. Aroma fresco, com notas de grama cortada, cítricos, lima, frutas e flores brancas. Paladar leve e de ótima acidez, 13% de álcool, cremoso, longo e equilibrado.

Nota: 88 pontos

Quinta dos Roques Encruzado 2012, Dão Decanter, www.decanter.com.br

Elaborado100% com Encruzado, parcialmente (65%) fermentado em carvalho francês. Palha-claro. Aroma com pureza e finesse, com notas de pêssegos, cítricos, ervas frescas, tostados, baunilha, notas florais, fundo mineral. Paladar macio, cremoso e delicado, com 13,5% de álcool, acidez firme, longo. Um clássico branco do Dão.

Grande Follies 2009, Aveleda, Bairrada Interfood, www.interfood.com.br

Elaborado com predominância de Chardonnay e Maria Gomes, com passagem por barricas. Palhaclaro. Aroma delicado, com notas cítricas de maçã verde, limão amarelo, flores brancas, acácia, frutas brancas, pera, melão, baunilha, fundo mineral. Paladar leve e macio, 13% de álcool longo. Conjunto equilibrado e elegante.

Dolium Escolha 2011, Paulo Laureano, Alentejo Adega Alentejana, www.alentejana.com.br

100% Antão Vaz, com oito meses em barricas. Palha-dourado claro. Aroma intenso, gordo, com madeira aparente mas bem integrada, tostados, baunilha, frutas amarelas maduras, abacaxi maduro. Paladar de bom corpo, gordo, untuoso, macio, 14,5% de álcool, com boa acidez.

Nota: 89 pontos

Leia também: Alvarinho, a grande uva da Península Ibérica

Marcelo Copello

Marcelo Copello

Diretor de conteúdo da Baco Multimidia, Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito Personalidade do Vinho 2011 pelo site Enoeventos. Eleito em 2009 como “best journalist” e “the most influential wine journalist” pela revista Meininger´s Wine Business International, a mais respeitada publicação mundial dedicada aos negócios do vinho, com circulação em 40 países. Colaborador de diversos veículos de imprensa, autor de 6 livros de sucesso, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 (Paris) na categoria “melhor livro sobre vinho europeu” para o livro “Os sabores do Douro e Minho”. e palestrante requisitado, Copello é totalmente ISENTO, não mantendo relação comercial com importadoras, vinícolas, lojas ou quaisquer empresas que comercializem vinhos.