Carregando

Aguarde, processando!

Minhas bebidas prediletas, da água ao vinho

Minhas bebidas prediletas, da água ao vinho

20/06/2018

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

372 Visitas

Por Marcelo Copello

Eu bebo muito. Estou sempre com copo na mão.

Minha bebida predileta é ÁGUA – direto no gargalo de uma garrafa de 1,5 litros. Quando viajo procuro provar as locais. Em Portugal é sempre obrigatório uma Pedras Salgadas. Na Espanha, Solán de Cabras. Na França e Itália é covardia de tanta água boa. Tento sempre experimentar algo novo, mas na dúvida vou de Panna (melhor que Evian) ou San Pellegrino (melhor que Perrier e empata com Badoit).

O LEITE estava em segundo lugar (da marca Leitíssimo, que me lembra os leites de infância) até que recentemente eu descobri o KEFIR, que adotei na alimentação diária e recomendo.

Em terceiro lugar neste pódio vem o CAFÉ, do qual sou dependente químico. Tanto que deixo minha cafeteira italiana MOKA BIALETTI preparada à noite, para de manhã só acender o fogo. Se eu tentar fazer o café antes de tomá-lo, é acidente na certa. Sem café sou fisicamente menos ágil que o Stephen Hawking. Lembro de uma ocasião em que uma turista pediu para me fotografar na mesa do café da manhã em um hotel, com 4 xícaras de espresso ristretto em minha frente. Gosto de CHÁ, mas ainda não tive minha epifania com esta bebida.

E o VINHO, não está entre minhas bebidas prediletas? Não considero o vinho uma bebida e sim uma espécie de oxigênio que eu respiro pela boca. É hors-concours.

Descendo no ranking chegamos aos alcoólicos e aí minhas preferências se espalham entre COQUETÉIS, uísque (WHISKY) e BRANDY, principalmente os armanhaques (ARMAGNAC) e brandys espanhóis, sem dispensar uma boa CACHAÇA e sem esquecer uma paixão recente, os AMAROS e VERMUTES (Vermouth).

Antes que perguntem: e CERVEJA? Eu sinceramente não curto cervejas com sabores adicionados e não surfo na onda das “artesanais”. Gosto de algumas, mas em geral acho tudo muito doce. Mesmo as de maior amargor, quase sempre trazem junto muita doçura. Adoro um chopp bem tirado e minha cerveja predileta (tenho sempre em casa) é a CERPA. Caso vocês não saibam, é comum entre os profissionais do vinho mundo afora “abrir os trabalhos” com uma única cerveja (para “lavar a serpentina”) antes de uma refeição com vinho.

Devo, não nego e publico assim que puder, as listas de meus uísques prediletos.

E que tal ler: Como degustar uma Vodca

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com