Carregando

Aguarde, processando!

La La La! Os famosos Côte-Rôtie de Guigal

La La La! Os famosos Côte-Rôtie de Guigal

21/10/2017

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

1833 Visitas

Por Marcelo Copello

Não, ao citar "La La La" não me refiro ao que o google me informa ser uma cação da Shakira. No idioma de BACO, "La La La" significa La Turque, La Mouline e La Madonne, o que equivale a "Pelé, Tostão e Garrincha" quando falamos de Côte-Rôtie. Provei estas três maravilhas juntas e às cegas, em uma de suas melhores safras, 1985 (os três são nota 100 de Parker). Para ficar mais didático estavam embaralhadas às cegas três grandes Bordeaux da mesma safra, 1985, qua apanharam feio... Leia! Antes, como sempre, um agradecimento à generosidade de quem me proporcionou esta prova e comigo a compartilhou.

UVAS

Côte-Rôtie (https://en.wikipedia.org/wiki/C%C3%B4te-R%C3%B4tie_AOC )  - esta pequena AOC (Appellation d'Origine Contrôlée), com pouco mais de 200 hectares vinhedos, no norte do Rhône-França, gera tintos que podem chegar aos píncaros da qualidade.

Esta é uma das poucas regiões no mundo onde é permitida a mistura de uvas tintas de brancas (outra destas excessões é Châteauneuf-du-Pape). Aqui apenas duas uvas são permitidas, a tinta Syrah e até 20% da branca Viognier, embora na prática a maioria dos vinhos

seja 100% Syrah (http://www.marcelocopello.com/post/conheca-a-syrah-historia-curiosidades-e-vinhos ) e a Viognier, quando presente raramente ultrapassa a 5%  dos cortes. Importante, por lei Syrah e Viognier precisam ser fermentadas juntas, e não fermentadas em separado e depois misturadas.

VINHEDOS

O nome Côte-Rôtie (costas grelhadas) se refere ao fato de suas belas colinas tem uma privilegiada exposição ao sol. Estas colinas são divididas em dois grupos principais, Côte Brune (costas morenas) e Côte Blonde (costas loiras). As primeiras colinas, à norte, são

compostas de argila e xisto rico em ferro, as segundas, à sul, de xisto com areia, calcário e granito. Normalmente as costas morenas geram vinhos mais masculinos, robustos, taninosos e longevos, enquanto as loiras, oferecem vinhos mais femininos, delgados e elegantes, para serem consumidos mais cedo. O usual é que os produtores misturem uvas "morenas" e "loiras" para obter vinhos mais complexos e equilibrados

GUIGAL

Muito do prestígio que os Côte-Rôtie tem hoje é devido ao produtor Marcel Guigal (http://www.guigal.com/ ), pioneiro na elaboração des vinhos "mono-vinhedo" na região. Em 1966 Guigal começou a realizar experiências engarrafando em separado vinhos de alguns de seus melhores vinhedos da

Côte Blonde e chamando a mistura de La Mouline, baixando rendimentos, usando 100% madeira nova e com controle de temperatura na fermentação. Em 1978 viria a fazer o primeiro mono-vinhedo, o La Mouline e depois em 1985 o segundo, o La Turque (ambos da Côte

Brune). Estes vinhos alcançaram estrondoso sucesso nos anos 1980, catapultados por notas 100 de Robert Parker.  

Estes três míticos Côte-Rôtie foram provados as cegas contra 3 Grands Crus de Bordeaux também de 1985, Château Pichon-Lalande, Château Gruaud-Larose e Château Cos d´Estournel, que ficaram nas três últimas posições nas preferências dos participantes da prova.

Vale deixar claro que as duas notas 100 pontos foram dadas sem favor. Estes são 3 vinhos que encantam e impressionam qualquer pessoa, dos mais leigo ao mais experimentado dos degustadores. É mesmo para sair cantando... La la la...

Côte-Rôtie La Turque 1985

Elaborado com 93% Syrah e 7% Viognier, com 42 meses em carvalho francês novo. Cor granada escuro. Aroma muito expressivo e exótico, com notas animais de carne, bacon, grafite, trufas, musgo, flores secas, cerejas, defumados, ervas, terra molhada, muitas especiarias. Paladar exposivo e aveludado, seco, textura muito macia, de ótimo corpo, profundo, com camadas de taninos muito finíssimos, infinitamente longo. Esta foi a primeira safra do La Turque, mesmo assim o vinho é arrebatador, cheio de expressivade e força, ainda jovem aos 30 anos de idade. O mais potente dos três.

Nota: 100 pontos.

Côte-Rôtie La Mouline 1985

Elaborado com 89% Syrah e 11% Viognier, com 42 meses em carvalho francês novo.Cor granada escuro com os primeiros reflexos alaranjados. Aroma intenso e elegante, com notas animais de couro e bacon, vegetais de musgo, minerais de terra, pimenta do reino, pele de salame, geléias de frutas negras, tabaco, resinas. Paladar equilibradissimo, à perfeição, quente e muito macio, com textura cremosa, de grande finesse e pureza, profundo, ainda com taninos presentes, vai viver ainda muitos anos. Este foi o predileto dentre todos, por seu sublime equilíbrio em boca.

Nota: 100 pontos.

Côte-Rôtie La Landonne 1985

Elaborado com 100% Syrah, com 42 meses em carvalho francês novo. Cor granada escuro. Aroma animal, especiarias picantes, shoyu, frutas vermelhas bem maduras, defumados, carne de caça, pimentado reino, azeitona, couro, terra. Paladar de bom corpo, com textura rica e macia, taninos doces e finíssimos, boa profundidade, elegante e delicado. O mais fechado e mais elegante dos três. Um degrau abaixo dos demais, talvez uma má garrafa ou um mau momento para abrí-la, mesmo assim um vinho excepcional.

Nota: 97 pontos.

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com