Carregando

Aguarde, processando!

Grandes tintos portugueses para a Páscoa

Grandes tintos portugueses para a Páscoa

21/03/2016

Marcelo Copello

Mundo do Vinho

1525 Visitas

Por Marcelo Copello

Na Páscoa há um pico no consumo do vinho. O coelhinho adora a bebida de Baco e só é superado por Papai Noel, outro enófilo voraz. Afinal, seja por motivações gastronômicas ou religiosas, não há bebida mais adequada para mesa caprichada deste feriado, já que na tradição cristã o vinho simboliza o sangue de Cristo, derramado para redimir nossos pecados.

Hoje apresento uma seleção de grandes tintos portugueses para a Páscoa (e para o bacalhau, é claro).

Duas Quintas Reserva 2011, Adriano Ramos Pinto, Douro-Portugal (Franco Suíssa, www.francosuissa.com.br R$ 341,71).
Elaborado com Touriga Nacional 50%, Touriga Franca 40% e Tinta da Barca 10%, com 18 meses em barricas de carvalho. Cor rubi muito escuro, violáceo. Aroma fino e de bom ataque, com notas fruta muito limpa e bem definida, ameixas, cassis, com notas de violetas, bastante madeira com fina tosta, especiarias, baunilha, chocolate, ervas, azeitona preta. Paladar estruturado e denso, com taninos finos e doces, 14,5% de álcool, acidez integrada, textura e profundidade, conjunto muito bem equilibrado, com ótimo potencial de evolução e muito finesse. Este vinho confirma que 2011 foi um grande ano para o Douro.
Nota: 95 pontos

A.S. Cinquenta 2009, Antonio Saramago, Península de Setúbal-Portugal (Viníssimo, www.vinissimo.com.br R$ 350,17)
Como o nome sugere, este é um vinho comemorativo dos 50 anos de enologia de António Saramago. Elaborado com 80% de Castelão, 10% de Touriga Nacional, 5% de Alicante Bouschet e 5% de Cabernet Sauvignon, com 18 meses em carvalho francês. Cor granada muito escura. Aroma concentrado, de frutas negras, madeira de fina tosta, muitas especiarias, frescor balsamico, chocolate. Paladar concentrato e sério, com muitos taninos, acidez firme típica da Castelão, muito longo e profundo, para guarda. Bela homenagens aos 50 anos do mestre.
Nota 94 pontos

Vinhas Velhas Santa Maria 2007 Quinta de Foz de Arouce, Beiras-Portugal (Decanter, www.decanter.com.br, R$ 346,70)
Elaborado com vinhas de mais de 70 anos em solos de xisto das castas Baga (85%) e Touriga Nacional (15%, de vinhas mais novas), com 14 meses em barricas francesas. Cor granada muito escura. Aroma complexo, com notas balsâmicas, ervas, mineral terroso, musgo, morango, cassis, couro, tabaco, especiarias, madeiras, cedro. Paladar encorpado, com boa estrutura de taninos, sérios, polidos e ainda presents, boa acidez, longo, excelente agora, mas ainda crescendo em garrafa.
Nota: 94 pontos

Palácio da Bacalhôa 2009, Bacalhôa Vinhos de Portugal, Península de Setúbal-Portugal (Portus, www.portusimportadora.com.br , R$ 342).
Elaborado com 64% Cabernet sauvignon, 28% Merlot e 8% Petit verdot, com 16 meses em barricas francesas novas. Cor vermelho rubi escura. Aroma muito fino e denso, com notas vegetais típicas da Cabernet Sauvignon, especiarias picantes, tostados finos da madeira, frutas vermelhas, balsamicos, baunilha. Paladar estruturado, com taninos finos e maduros, acidez firmes, 14,5% de álcool. O conjunto tem finesse e equilíbrio, para guarda. Melhor safra do Palácio da Bacalhôa que já provei.
Nota 94 pontos.

Crooked Vines 2013, Secret Spot, Douro-Portugal (Viníssimo, www.vinissimo.com.br , R$ 246,33)
Elaborado a partir de vinhas velhas, com pisa a pé. Cor muito escura, em tons rubi violáceos. Aroma intenso e complexo, com muitas ervas, como esteva, estragão, notas basâmicas, frutas negras maduras, madeira bem casada, tostados, café, cedro, flores secas, banilha, grafite, chocolate. Paladar de bom corpo, textura densa sem excessos de extração, com taninos finos, acidez moderada, 14% de álcool, equilíbrio dominado pela maciez, longo. Impressina muito bem, rico e pronto para beber.
Nota: 93 pontos

La Rosa Reserva 2012, Quinta de la Rosa, Douro-Portugal (Adega Alentejana, www.adegaalentejana.com.br, R$ 391,30).
Elaborado em lagares com pisa a pé, com as castas Touriga Nacional (predominante), Touriga Franca e Tinta Roriz, madurece cerca de 16 meses em barricas de carvalho francês. Cor rubi violácea muito escura. Aroma intense, fino, complexo, com fruta negra doce, cerejas, chocolate, café, tostados, violetas, ervas aromáticas, fundo mineral elegante. Paladar concentrado, com taninos finos e doces, ainda presentes, equilibrado e macio, com oa tensão, longo e para guarda.
Nota: 93 pontos

Quanta Terra Grande Reserva 2011, Quanta Terra, Douro-Portugal (Adega Alentejana, www.adegaalentejana.com.br , R$ 280).
Elaborado com 65% Touriga Nacional, 20% Tinta Barroca, 13% Touriga Francesa e 2% Sousão, amadurecido 12 meses em barricas de carvalho francês. Rubi violáceo escuro. Aroma intense e rico, com notas de frutas negras madura, ameixas, passas, chocolate, defumados, tostados, baunilha, tabaco, nota mineral. Paladar encorpado, concentrado, textura macia, taninos doces, final longo e equilibrado.
Nota: 92 pontos

VZ 2013, Van Zellers, Douro-Portugal (Grand Cru, www.grandcru.com.br, R$ 345)
Elaborado com vinhas velhas de 60-90 anos, com mistura de dezenas de castas. Pisado a pe em lagares, amadurece 21 meses em barricas francesas de 1-2 anos. Cor rubi violácea muito escura. Aroma intenso e complexo, com frutas muito maduras, ameixas, muitas especiarias e erva, madeira bem colocada não domina o conjunto. Paladar estruturado, com taninos finos e doces, acidez equilibrada, pronto para beber. Belo resultado para uma safra difícil
Nota: 92 pontos

António Saramago Winemaker 2013, Antonio Saramago, Península de Setúbal-Portugal (Viníssimo, www.vinissimo.com.br , R$ 153,16). Elaborado 100% com a casta Castelão com 14 meses em barricas francesas e americanas. Cor rubi violácea escura. Aroma intenso e fino, com notas de frutas frescas, madeira nova, fundo mineral elegante. Paladar estruturado por bons taninos, secos e firmes, boa acidez, 14,5% de álcool. Um Castelão dos mais bem elaborados, fino, sério, com bom potencial de guarda
Nota: 91 pontos

S de Soberanas 2005, Herdade da Soberana, Península de Setúbal-Portugal (Hannover, www.hannovervinhos.com.br , R$ 388,30)
Elaborado com 90% Alicante Bouschet e 10% Trincadeira (10%) com 33 meses em barricas de carvalho francês. Cor muito escura, em tons granada. Aromas intense e de boa complexidade, com bastante madeira, tostados, fruta negras maduras, ameixas, notas vegetais de musgo e azeitona, chocolate e muitas especiarias. Paladar largo, com bom volume de boca, taninos doces, 14,5% de álcool, bom frescor, longo. Belo tinto, com muito presence e ainda com evolução pela frente.
Nota: 91 pontos

Reserva 2010, Quinta da Romaneira, Douro-Portugal (Portus, www.portusimportadora.com.br , R$ 383).
Elaborado com 55% Touriga Nacional e 45% Touriga Franca, com 14 meses em barricas de carvalho francês. Cor muito escura em tom rubi. Aroma concentrado de frutas negras bem maduras e muitas especiarias, com frescor de ervas. Paladar concentrado e redondo, macio, taninos doces, acidez equilibrada, 13% de álcool, longo. Dentro do estilo da casa, que agrada fácil, moderno, com concentração e maciez.
Nota: 90 pontos

Grande Reserva 2008. Casa de Santa Vitória, Alentejo-Portugal (Vila de Arouca, www.viladearouca.com.br R$ 200)
Elaborado com Touriga Nacional, Cabernet Sauvigon e Sytah, com 13 meses em carvalho francês. Granada escuro . Aroma rico e intenso, com madeira na frente junto com frutas maduras, passas, nota vegetal, chocolate, pimenta. Paladar de bom corpo, taninos doces e prontos, 14,% de álcool. acidez equilibrada, em um ótimo, no auge, excelente agora, mas na hora de beber.
Nota: 90 pontos

Syrah 2011, Quinta da Romaneira, Douro-Portugal (Portus Cale, www.portusimportadora.com.br , R$ 276).
Elaborado com 100% Syrah, com 18 meses em barricas de carvalho francês. Cor rubi muito escura. Aroma intenso e denso, com notas de frecor balsâmico, menta, frutas negras bem maduras, especiarias picantes, baunilha, tostados, defumados. Paladar encorpado, com boa extração, macio, com taninos doces, 14,5% de álcool. Estilo moderno, ao mesmo tempo fácil de beber e com presença marcante.
Nota: 90 pontos

Alicante Bouschet 2012. Casa de Santa Vitória, Alentejo-Portugal (Vila de Arouca, www.viladearouca.com.br R$ 300)
Elaborado com 100% Alicante Bouschet, com 14 meses em carvalho francês. Rubi muito escuro violáceo. Aroma de fruta bem madura, madeira nova bem casada cassis, amoras, nota balsamica. Paladar encorpado e macio, com taninos doces ainda levemente presentes, acidez correta, 14% de álcool. Ao mesmo tempo encorpado e fácil de beber
Nota: 89 pontos

Veja mais em www.facebook.com/vinhocommarcelocopello

Marcelo Copello

Marcelo Copello


Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. Eleito “O MAIS INFLUENTE JORNALISTA DE VINHOS DO BRASIL” pela revista Meininger´s Wine Business International, e “Personalidade do Vinho” 2011 e 2013 pelo site Enoeventos.

Curador do RIO WINE AND FOOD FESTIVAL, e Publisher do Anuário Vinhos do Brasil, colaborador de diversos veículos de imprensa, colunista da revista Veja Rio online. Professor da FGV, apresentador de rádio e TV, jurado em concursos internacionais de vinho, como o International Wine Challenge (Londres). Copello tem 6 livros publicados, em português, espanhol e inglês, vencedor do prêmio Gourmand World Cookbook Award 2009 em Paris e indicado ao prêmio Jabuti.

Especialista no mercado e nos negócios do vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres). Copello é hoje um dos palestrantes mais requisitados. Para saber mais sobre as palestras e serviços de Copello clique AQUI

  

Contato: contato@marcelocopello.com